HISTÓRIAS DE TERROR

Histórias e Contos de Terror Inéditos Pra você que Gosta de Ler Boas e Assustadoras Histórias.

O Exorcismo de Clara Germana

A Assustadora História do Exorcismo da Estudante Clara Germana, que Teria um Pacto com o Demônio.

Padre Exorcista Segurando um Crucifixo
Padre Exorcista Segurando um Crucifixo

Em 1906, numa escola Missionária na África do Sul, estudante de 16 anos Clara germana Cele confessa ao padre que fez um pacto com o demônio.

Os eventos que se seguiram fizeram dessa historia mais um fato real de horror. Clara passou a ter um comportamento estranho e bizarro muitas vezes. Conversava com seres invisíveis e oscilava entre comportamentos agressivos e sarcásticos.

Quando percebia que estava sendo possuída, chamava pelo padre. Mas logo começava a se mexer de forma esquisita e rosnar como um animal. Então gritava com a voz alterada palavras sobre traição e poder. Quando as irmãs da escola jogavam água-benta sua pele queimava.

A Estudante Clara Germana Durante Sessão de Exorcismo Real
A Estudante Clara Germana Durante Sessão de Exorcismo Real

Em momentos de possessão Clara Germana chegou a levitar sobre a cama. Um exorcismo foi autorizado. O procedimento final durou dois dias e o demônio foi expulso do corpo de Clara. A partir deste dia, nunca houve relatos de qualquer comportamento bizarro da garota.

O Acidente do Challenger

Em 1986 o Ônibus Espacial Challenger Explode Enquanto Milhões Assistem ao Vivo

Explosão do Ônibus Espacial
Explosão do Ônibus Espacial

Após 9 missões realizadas com absoluto sucesso, o ônibus espacial Challenger decolaria outra vez. O Que parecia ser mais uma bem sucedida viagem tornou-se uma tragédia. 73 segundos após o lançamento, o ônibus espacial Challenger explodiu. Os espectadores, telespectadores, a imprensa, convidados e a Nasa assistiram a morte instantânea de todos os sete tripulantes.

Veja o Vídeo:

Acidente do Challenger Ao Vivo na CNN (Imagens da Época).

Tragédia em Família, Ernest Hemingway

Conheça as Tragédias Ocorridas na Vida do Famoso Escritor Ernest Hemingway.

Historias de Terror - Tragédia em família - Ernest Hemingway
Imagem escritor Ernest Hemingway

O Escritor Ernest Hemingway é um dos maiores escritores americanos. Mundialmente famoso escreveu diversos livros famosos como:

  • O Velho e o Mar (1952);
  • As Verdes Colinas da África (1935);
  • Morte à Tarde (1936);
  • As torrentes da Primavera (1926);
  • O Grande Rio de Dois Corações (1925)

Conheça mais alguns livros famosos de Ernest Hemingway aqui.

O Sucesso na literatura precedeu diversas tragédias em família. O Pai de Ernest Hemingway se matou com um tiro em 1929. Ernest Hemingway se matou em 1961, copiando o destino do pai. O suicídio e a tragédia estavam presentes em sua obra e sua vida.

Sua irmã morreu em 1966 e seu irmão em 1982. Para completar a trágica história de sua vida, a Neta de Ernest Hemingway se suicidou em 1996 com uma overdose de barbitúricos.

A Peste Negra

Uma Assustadora Doença que Dizimou Boa Parte da População da Europa e Apavorou o Mundo.

Os médicos da época utilziavam as máscaras na tentativa de evitar o contágio
Os médicos da época utilziavam as máscaras na tentativa de evitar o contágio.

No século XIV uma contaminação quase dizimou a população europeia. Uma grande infestação de ratos infectados com a doença foi a condição ideal para a proliferação da peste. As pulgas picavam os ratos e, através de seu sange, passavam a carregar a doença transmitindo-a aos seres humanos.

A Falta de higiene foi uma das causas de tão rápida infestação de ratos e transmissão da doença. A morte rápida e sofrida, aliada ao sintoma onde as pessoas ficavam com a pele escura, fez com que a doença fosse conhecida como Peste Negra.

A Peste Negra produzia pilhas de corpos diariamente levados aos cemitérios. O número de vítimas foi tamanho que houve uma mudança radical na vida das pessoas da época. As condições de higiene foram radicalmente modificadas. Os 14 milhões de mortos pela Doença correspondiam a ⅓ da população européia.

O Crime da Dália Negra

O Brutal e Misterioso Assassinato de Elisabeth Short, Conhecido como Crime da Dália Negra.

A Bela Elizabeth Short Foi Brutalmente Assassinada em 1947
A Bela Elizabeth Short Foi Brutalmente Assassinada em 1947

Elisabeth Short (1024–1947) era uma atriz americana que ficou muito famosa após seu brutal assassinato. O Crime ficou conhecido na época como o “Assassinato da Dália Negra” (Black Dahlia — em Inglês). Foi um dos crimes mais brutais e controversos da história da polícia americana.

Elisabeth Short teve sua vida descrita em muitos livros e documentários. O Crime produziu, na época, mais de 150 suspeitos mas não foi solucionado. A natureza brutal da morte fez dessa uma das histórias mais arrepiantes que já aconteceram.

Elisabeth Short foi encontrada no dia 15 de janeiro de 1947. À beira de uma estrada na California, uma bela mulher foi encontrada morta, cortada ao meio e com sua face dilacerada.

A horrorosa cena do crime foi fartamente fotografada para os padrões da época, além das descrições precisas. Corpo cortado ao meio, com cortes nos seios, partes íntimas e coxas. A parte de baixo separado a uma distância de 30cm do tronco. Além disso, seu rosto estava dilacerado e com um corte de orelha a orelha, o bizarro “Sorriso de Glasgow”.

Para completar a cena de horror, a afirmação dos legistas que verificaram que o sangue do corpo havia sido drenado, deixando a pele pálida mesmo pouco tempo depois da morte.

Os Experimentos de Mengele

O Médico Nazista Joseph Mengele Utilizava Cobaias Vivas em seus Estudos.

À esquerda Mengele e à Direita Crianças do Campo de Concentração
À esquerda Mengele e à Direita Crianças do Campo de Concentração

Um dos personagens mais bizarros do nazismo foi o médico Joseph Mengele. Seu entusiasmo por pesquisas, metodologia e apresentação de resultados lhe renderam uma vaga em Auschwitz.

O campo de concentração era o local perfeito para suas pesquisas. O grande número de prisioneiros no campo eram uma fonte de matéria-prima infinita. Sua dedicação e falta de escrúpulos produziram a combinação perfeita para uma matança desenfreada.

Mengele fazia todo o tipo de experimentos com os prisioneiros. Suas pesquisas iam desde a genética até a cura de doenças. Costumava desenvolver e testar armas químicas em suas vítimas. Depois, de forma metódica, dissecava seus cadáveres para analisar os resultados.

Injetava corante em prisioneiros ainda vivos entre outras atrocidades para observação dos sintomas. Tinha dedicação especial aos gêmeos que chegavam ao campo. Escolhendo sempre os idênticos para seu laboratório, seus experimentos eram variados. Mas sempre utilizava um dos gêmeos para aplicar alguma substância ou produzir gangrena nos membros. Quando o doente morria, ele assassinava o gêmeo que sobrava e dissecava seus corpos fazendo suas anotações e comparações.

Quando havia um surto de alguma doença no campo de concentração, Mengele exterminava os doentes bloco por bloco na câmara de gás. Realizava a limpeza do galpão e liberava para a chegada de novos prisioneiros.

Page 1 of 23

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial